Aprendizagem, Coaching, Design, Mentorias, Negócios

Como criar um negócio

Fica a saber como podes começar já hoje com a nossa a Design Process™

Existem certos passos que fazem parte do processo do lançamento de um negócio da nossa carreira criativa que não nos ensinam na faculdade. Se temos sonhos e ambições, ficamos entregues aos leões e temos que aprender com cada queda que damos. E acredita, são algumas, mas valem a pena porque não existe nada como saberes que tudo o que fazes é por ti e pelo teu futuro.

Neste artigo vou te falar de algumas coisas que aprendi com a minha experiência e que te podem vir a ajudar a finalmente dares o passo seguinte

na tua carreira criativa!

1 – Conhece bem o que ofereces.

Parece óbvio, não é? Mas alguns pecam por não saberem de trás para a frente e de frente para trás o produto ou serviço que querem oferecer. Seres especialista na tua área acrescenta-te muito valor e para saberes transmitir essa especialidade, tens que ser muito confiante nas tuas valências. Não vale a pena tentares fazer de tudo um pouco. Foca-te na área em que sabes que vais brilhar e usa-a a teu favor.
Ter um negócio, seja ele digital ou tradicional, implica que as pessoas que irão recorrer a ti tenham confiança no resultado final. Essa confiança está intimamente ligada à qualidade que entregas aos teus clientes.

2 – Define bem o teu público-alvo.

Ao conheceres bem o teu público-alvo, já fizeste imenso para garantir o teu sucesso a longo-prazo. Tens que conhecer a tua target-audience: quais são as dores do teu cliente, quais são as expectativas e que tipo de soluções é que eles gostam de ver. Tudo o que farás a partir desse momento, será a pensar ultimamente no teu cliente, presente e futuro. O teu cliente pode dividir-se em inúmeras categorias: tecnologia, negócios locais, restauração, retalho, moda, cosmética e muitos, muitos outros.
Lembra-te que tudo em ti comunica, especialmente os Case Studies que tens no portfólio.

E por falar em Case Studies, vamos ao ponto seguinte!

Constrói o teu portfólio.

Isto é das coisas mais importantes para qualquer criativo.
O teu portfólio é o teu CV. É a tua porta de entrada. Por isso, garante que investes todos os teus recursos na construção de um portfólio sólido, com bons Case Studies e que, acima de tudo, seja claro. O teu futuro cliente tem que perceber quem és e o que ofereces em poucos minutos.
Terás que sacrificar algumas coisas para poderes ter algo robusto e uma delas será o rendimento. No início da tua carreira criativa, foca-te em construir um legado. Por vezes, farás trabalhos que serão pobremente remunerados. Outras vezes, terás que pegar em todo o tempo livre que tens e pensares tu em soluções criativas para desafios auto impostos. Os clientes querem saber de soluções.

Existem plataformas como o FIVERR ou o UPWORK que podem ser um ótimo ponto de partida para te ajudar a construir o teu portfólio e a ganhar experiência. Deixo-te um artigo que fala mais sobre este assunto. Vê AQUI
O trabalho de um criativo exige muita imaginação e trabalho árduo. No início, estás a trabalhar para o portfólio, depois o portfólio irá estar a trabalhar para ti.

Se quiseres saber como criá-lo, lê ISTO ou vem falar comigo! Com a Design Process™ poderás ter a ajudar que sempre procuraste.

4 – Partilha o teu trabalho e constrói a tua Network.

Nós crescemos com os outros. Não existe nada melhor do que ir melhorando a nossa técnica com o feedback de outros profissionais mais experientes e construindo uma rede confiável de pessoas. Networking é importante por isso mesmo: inspiras-te com outros colegas, aprendes com eles e ainda serás capaz de encontrar novas oportunidades de trabalho.
Quando nos lançamos sozinhos no mercado, pensamos mesmo que estamos sozinhos, mas é mentira. Ninguém é uma ilha, muito menos num mundo criativo como o nosso. Por essa razão, decidimos criar uma comunidade íntima de criativos que se encontram no mesmo barco que tu: uns à descoberta, outros a partilhar anos de experiência dentro da sua área. Aí, poderás aprender, conectar-te a outros, ter acesso a conteúdo exclusivo e explorar novas oportunidades.

5 – A tua atividade também é uma marca.

Define bem a tua comunicação. Tu, melhor que ninguém, hás-de saber que o branding é uma arma muito poderosa na diferenciação com os concorrentes. Tudo em ti comunica o teu serviço.
No entanto, não te foques demasiado neste ponto. O importante é o valor que tu entregas. Se te centrares demasiado nas cores e cartões de visita, arriscas-te a perder tempo. O que me leva ao ponto seguinte.

Na plataforma que preparámos para ti terás a oportunidade de ter acesso a templates para necessidades específicas e informação que irá facilitar o teu trabalho e ajudar a organizar as tuas prioridades. Não terás mais desculpa para não começar o teu negócio!

6 – Não esperes pela hora certa.

A hora certa não existe. Se esperares até teres um portfólio completo, o branding ideal, os preçários todos definidos e a atividade toda alinhada – nunca vais começar.

O momento certo para arrancares é no imediato. Decerto que irás cometer muitos erros, como todos nós, mas graças a eles irás chegar longe.

O caminho de todos nós é diferente, mas lembra-te: o que não te assusta, não te faz crescer.